Porto Seguro

Botão voltar

beneficio-clinicaspet-destaque.jpg

Clínicas Veterinárias para seu Cão e Gato - Pet

Para facilitar ainda mais a sua vida, além de todas as vantagens do Porto Seguro Residência, você tem direito ao Pet*. Este benefício dá direito a 3 (três) atendimentos veterinários para cães e gatos e respectivos retornos, em até 15 dias, ambos agendados, com clínico geral, em clínicas veterinárias credenciadas.

Algumas clínicas oferecem descontos em serviços como: diagnóstico por imagem, exames laboratoriais, cirurgias, descontos em banho e tosa, especialistas veterinários entre outros. Estão excluídos atendimentos emergenciais, despesas com medicamentos, internações, cirurgia de castração para controle de natalidade, fisioterapia, vacinas, vermífugos, qualquer produto de Pet Shop.

Os descontos oferecidos pelos estabelecimentos são sempre descritos na lista de credenciados.

* Benefício válido somente para o Porto Seguro Residência Habitual ou Veraneio, quando contratado o Plano Exclusive.

Confira as orientações para atendimento

  • Verifique a clínica veterinária mais próxima de sua residência, o desconto oferecido e o horário de atendimento ao segurado Porto Seguro, o mesmo não é oferecido fora dos períodos determinados no site;
  • Como todos os atendimentos são realizados mediante agendamento, sempre entre em contato com a clínica antes de levar o seu bichinho;
  • No dia da consulta veterinária leve o cartão Porto Seguro;
  • Se tiver mais de um animal não esqueça de agendar mais de uma consulta com a clínica.


 


Ressaltamos que estão excluídos atendimentos emergenciais, despesas com medicamentos, internações, cirurgia de castração para controle de natalidade, fisioterapia, vacinas, vermífugos, qualquer produto de Pet Shop e outros.

** Consulte região de abrangência.

 

Dicas e cuidados para o seu Pet

  • Chocolate pode matar seu cachorro por conter uma substância tóxica chamada teobromina, que estimula o sistema nervoso central e os músculos cardíacos. Os sintomas são hiperatividade, vômitos, dilatação abdominal e diarreia.
  • Manter a vacinação em dia é uma das formas mais eficientes de cuidar da saúde do seu cão. Doenças como hepatite, leptospirose e cinomose podem ser evitadas com a aplicação das vacinas V-8 ou V-10, uma vez ao ano.
  • A raiva é uma doença grave. Ela pode matar e não tem cura. O animal infectado pode transmitir a doença para pessoas e outros animais por meio de mordidas, arranhões e lambidas. A melhor solução contra a raiva é vacinar seu cão ou gato todos os anos. Existem campanhas públicas e gratuitas promovidas pelo Ministério da Saúde, geralmente no mês de agosto. Informe-se.
  • Bater no seu cão não vai deixá-lo mais educado. Para ensinar ou corrigir uma atitude, enrole um jornal e bata com força no chão. Mas faça isso imediatamente após ele fazer qualquer coisa errada. Caso contrário, esse gesto só vai servir para aumentar a agressividade do animal. A melhor maneira de educar seu cachorro é procurar a ajuda de um especialista em comportamento animal.
  • Nem sempre é fácil educar seu cão a fazer cocô. Os machos têm instinto territorialista e poucos se acostumam às regras da casa ou aos hábitos do dono. Tente levar seu cachorro para passear duas vezes por dia, num horário fixo. Na maioria das vezes, ele vai esperar esses momentos para fazer suas necessidades. Mas é importante adotar essa prática desde filhote.
  • Evite dar comida de gente para seu cão ou gato. A melhor alimentação é uma ração de boa qualidade, com os nutrientes balanceados para cada fase da vida. Uma alimentação inadequada causa doenças, aumentando as despesas com veterinários e remédios.
  • A castração é uma cirurgia simples, que dependendo da idade do animal pode evitar doenças como tumor na próstata e piometra. Na época do cio, o animal sofre uma redução na capacidade imunológica que, em caso de pré-disposição, pode facilitar o surgimento de sarna demodécica.
  • Se, por acaso, você encontrar um gatinho órfão, coloque o bichinho numa caixa de papelão junto com uma garrafa pet com água morna e coberta por um pano. Isso vai deixar o filhote quentinho e protegido.
  • Logo após o nascimento, a gata lambe os filhotes estimulando-os a defecar e urinar. Sem a mãe, os gatinhos podem morrer pela falta desse estímulo. Nesse caso, experimente umedecer um chumaço de algodão em água morna e passe com bastante suavidade na região anal dos bichinhos. Se não funcionar, procure imediatamente um veterinário.
  • Seu cachorro anda destruindo os móveis da casa? Aprenda a entender o que isso quer dizer. Se é um filhote, esse comportamento pode ser provocado pela troca de dentes, uma alimentação pobre em cálcio ou por não ter sido vermifugado. Mas se seu cão já está bem crescidinho, com certeza está querendo chamar a atenção.
  • Os cães trocam de pelo duas vezes por ano, geralmente nas mudanças de estação. A queda dos pelos é normal o ano todo, mas não em grande quantidade. Por isso, se você notar falhas na pelagem, consulte um veterinário. Doenças como sarnas, micoses e alterações hormonais podem provocar o problema.
  • O acúmulo de tártaro (cálculo dentário) nos dentes dos cães, principalmente nos mais velhos, pode provocar aquele incômodo mau hálito. Para fazer a limpeza, leve-o periodicamente ao veterinário. Doenças digestivas também podem causar o problema.
  • Se seu cão late a ponto de incomodar os vizinhos, existe um truque para reduzir o problema. Pegue uma latinha de refrigerante e coloque dentro algumas moedas. Quando ele exagerar nos latidos, balance a latinha rapidamente.
  • Mudar de casa ou fazer uma viagem pode deixar o seu cão ou gato bem estressado. Alguns chegam a ter diarreia numa visita ao veterinário ou ao petshop. Nesses casos, o melhor a fazer é dar a eles bastante carinho.
  • Leve seu cachorro para passear na região onde você mora. Se um dia ele se perder, vai saber como voltar para casa. Outros cuidados são tirar o Registro Geral Animal (RGA), colocar sempre a coleira e nunca deixar o portão aberto.
  • Vermes causam queda dos pelos, falta de apetite, cólicas, diarreias e, em casos extremos, podem até matar. Para evitar tudo isso, dê vermífugo a cada seis meses e repita a dose após 15 dias.
  • Dar comida, água, abrigo e levar periodicamente ao veterinário são cuidados básicos que você deve ter com o seu cão ou gato. Mas nunca esqueça de brincar e dar carinho. Eles gostam e sentem falta disso.
  • A chegada de um novo cão ou gato na sua casa pode causar um grande estresse no seu bichinho de estimação. A reação pode ir da agressividade à apatia. Ele também pode ter vômito, diarreia e perda de apetite. Mas se esse for mesmo o motivo, não se preocupe. Com o tempo isso passa.
  • Vai viajar de carro e levar seu cão ou gato? Para animais pequenos, a melhor solução são as caixas de transporte. Mas se você tem um cachorro de grande porte, prenda a coleira no cinto de segurança do banco traseiro. Essa é a melhor forma de proteção em caso de freada ou acidente.
  • Dar comida ao seu cachorro durante uma viagem de carro pode causar enjoo e alterar o sistema digestivo. Procure parar de hora em hora para ele se hidratar, dar uma voltinha e fazer suas necessidades.
  • Os cachorros mais velhos não gostam de sair da rotina. Com o passar dos anos, eles se tornam sistemáticos e cheios de manias. Nessa fase, é bom ficar atento às doenças mais comuns como insuficiência do coração, nefrites, tumores e cataratas.
  • A maioria dos desaparecimentos de cães e gatos é provocada pela distração dos donos ou pessoas da casa, que esquecem portões e janelas abertos. E se você tem cercas no quintal, verifique se não existe nenhum buraco.
  • Seu cachorro está latindo? Preste atenção. Latir pode significar um pedido, um aviso ou uma ameaça.
  • Sabe aquelas voltinhas em círculo que o seu cachorro dá antes de dormir? É um hábito herdado da vida selvagem. Antigamente, os cães costumavam afofar a terra antes de se deitar.
  • Cães e gatos costumam ter sarna de ouvido. Uma doença comum e fácil de identificar. Os bichinhos ficam irritados com a coceira, balançam a cabeça e sentem dor. Geralmente, aparece uma secreção escura. Leve-o imediatamente ao veterinário.
  • Ao miar, seu gatinho está querendo expressar um desejo ou sentimento. Desde cedo, os gatos aprendem que seus miados também servem para controlar seus donos. Para isso, eles criam diversas vocalizações. Já foram identificados mais de 100 tipos de miados.
  • A leishmaniose é uma doença grave que pode até matar seu cão. Para combater o mosquito transmissor existem inseticidas com o princípio ativo cipermitrina, vendidos exclusivamente em lojas de produtos veterinários. A aplicação é feita na ponta das orelhas, na cabeça e na linha dorsal, em proporção correspondente ao peso do animal.
  • Hipertireoidismo é a redução da produção dos hormônios da tireoide, uma doença comum nos cães e rara nos gatos. Ela afeta os animais entre 4 e 10 anos. Os principais sintomas são obesidade e queda dos pelos. E o diagnóstico é feito por meio de exame de sangue. Por isso, se notar algum desses sintomas, leve seu cão ao veterinário.
  • Uma receita simples e natural para curar os problemas causados por fungos na pele do seu cachorro. Dê um banho de chá de barbatimão, uma erva fácil de encontrar em lojas e farmácias de produtos naturais. Custa muito barato e o efeito é excelente.
  • É fácil preparar em casa um leite substituto do leite canino. Anote a receita:

    1 copo de leite fervido,
    1 gema de ovo,
    1 pitada de sal,
    1 colher de sopa de óleo de milho,
    1 colher de sopa de polivitamínico (Potenay, Glicopan ou Nutriful).

    Bata no liquidificador e guarde na geladeira. Não esqueça que seu filhote precisa de várias mamadeiras ao dia.